Trabalho Remoto: Como contratar devs de qualquer lugar

Tempo de leitura: 8 minutos

O trabalho remoto está sendo muito disseminado entre as empresas hoje em dia. As pessoas têm pressa e os objetivos estão cada vez mais relacionados às entregas bem feitas do que ao horário de trabalho tradicional sendo cumprido. Trabalhar remotamente é uma modalidade de trabalho que permite ao funcionário não comparecer a um escritório, a pessoa trabalha em casa, ou onde quiser.

Reformas nas leis trabalhistas do Brasil estabeleceram novas regras e tornaram mais formais e claros os detalhes sobre como lidar com home office, ou com o trabalho remoto.  Muitas pessoas de RH ou CEOs ficam com receio em ter equipes trabalhando de maneira remota. Afinal, é um funcionário que não convive com ninguém da empresa. Você não vê a pessoa chegando nem saindo. A sua avaliação deve ser baseada puramente nas entregas. 

Mas é disso mesmo que uma empresa precisa, certo?

Pensando no mercado de TI, fica ainda mais evidente que essa nova forma de trabalho já virou tendência. Permitir que o desenvolvedor trabalhe em casa atrai mais atenção para a sua vaga e isso pode ser uma solução para a escassez de profissionais em um mercado tão aquecido.

Esse texto é uma versão resumida do ebook Trabalho Remoto: Como contratar de qualquer lugar. Nesse material é possível entender cada etapa do que é ter um dev trabalhando de maneira remota e quais são as diferenças e impactos para a empresa que adere a esse tipo de contratação.

Por que?

O dev não costuma precisar de muitos equipamentos para trabalhar: um bom computador e rede de internet muitas vezes é suficiente. E ele não necessariamente precisa ter alguém por perto dando instruções, o que funciona perfeitamente dentro do modelo de trabalho remoto. Para essa relação funcionar é essencial que haja muita confiança e que empregador e empregado tenham maturidade e perfil para isso.

Segundo pesquisa conduzida pela Citrix e Oxford Economics, 67% das organizações brasileiras que adotaram o trabalho remoto e participaram do estudo indicam aumento nos lucros.

As vagas remotas trazem benefícios diretos tanto para a empresa como para o funcionário. Esse novo modelo de trabalho diminui os custos, o turnover, gera maior produtividade e maior competitividade para a vaga. O trabalho à distância vai de acordo com a nova tendência mundial de ideias e ações de uma geração dinâmica, flexível e diversa.

Imagine você estar com uma vaga aberta na sua empresa e poder contar com candidatos do Brasil inteiro, ou quem sabe do mundo inteiro. É uma gama gigante de talentos e possibilidades. Você pode estar pensando como seria complicado para essas pessoas se deslocarem, mudarem completamente suas vidas e como seria auxiliar na mobilidade do novo profissional.

Na verdade, elas não precisam nem sair de casa e você não precisa convencer ninguém a se mudar. Basta estar disposto a abrir vagas remotas na sua empresa. Além de aumentar muito as possibilidades, também é uma maneira de buscar por habilidades que são mais comuns em outras regiões.

Desafios do Trabalho Remoto

Existem alguns cuidados a serem considerados numa contratação remota, mas se você se preparar e entender o contexto da sua empresa e suas limitações tudo pode funcionar bem.

É essencial ficar atento com a interação entre os colaboradores, mesmo remotos. Essa visão está atrelada à importância de se fortalecer a cultura da empresa, para que esta tenha uma identidade concisa. Por isso, é importante ter um sistema de comunicação bem implementado. Isso é de extrema importância para garantir a interação das pessoas.

Você deve ter toda a sua documentação e materiais muito bem organizados. Da mesma maneira que é necessário cobrar organização e disciplina do seu dev remoto, a empresa como um todo também deve seguir essa linha.

Além disso, ter um processo de onboarding muito bem delineado deixa o trabalho do novo dev remoto mais intuitivo e organizado.

Outro cuidado a ser tomado é em relação às leis trabalhistas, mas isso merece um capítulo à parte. Quando se trata de contrato, leis, direitos e deveres, deve-se ter uma atenção especial para não cometer erros que poderiam acarretar prejuízos financeiros e de imagem para a sua empresa.

Leis para trabalho remoto

No trabalho remoto é possível usar dois tipos de contratação: PJ ou CLT. No primeiro caso, o funcionário, como pessoa jurídica, deve ser acompanhado por entregas, já que nesse regime ele está prestando um serviço para a empresa. O desenvolvedor remoto se equipara a uma empresa contratada pela sua empresa. Ele não deve cumprir uma jornada de trabalho pré estabelecida, mas pode participar de reuniões, presenciais ou à distância, quando for combinado.

Ele recebe remuneração por entrega, ou como for acordado previamente.

Já no regime de CLT, a pessoa é contratada como pessoa física, com carteira assinada. Mas nesse modelo a pessoa também não necessita cumprir uma jornada. Como foi determinado na nova lei trabalhista sobre o assunto, o controle do trabalho também será feito por entregas, não por carga horária de trabalho, mas ainda assim um horário regular pode ser combinado pelas duas partes. Esse ponto gerou polêmica, já que não poderão ser contabilizadas horas extras.

O funcionário remoto com CLT tem os mesmos direitos do funcionário que trabalha no escritório: férias, 13° salário, recolhimento do FGTS, vale transporte em dias que precisar se deslocar, auxílio doença acidentário, plano de saúde, remuneração compatível com sua função, independentemente do local onde o trabalhador presta serviços, etc.

Vale ressaltar: tudo que o profissional usar na sua casa para executar as tarefas do seu negócio deve ser formalizado via contrato. A empresa pode arcar com custos das ferramentas de trabalho necessárias ao exercício da função, como equipamentos, gastos com energia elétrica, internet e telefone, desde que esteja previsto em contrato.

É recomendável contratar um advogado para auxiliar em questões de contrato e leis trabalhistas, garantindo que direitos e deveres de ambas as partes estejam sendo cumpridos, evitando problemas futuros.

Perfil do dev remoto

Nem todo ótimo funcionário será um funcionário remoto bom. Para conseguir trabalhar em casa, ou em qualquer outro lugar que não seja rodeado por colegas e chefes, a pessoa deve ter perfil para isso, com características que vão além de conhecimento técnico. Aspectos como disciplina, auto gerenciamento, clareza na comunicação escrita, pró atividade e confiança devem estar presentes 

Ao mesmo tempo que é incrível ter um mundo inteiro de possibilidades para preencher sua vaga, é também extremamente trabalhoso filtrar essas pessoas. Junto com o currículo do seu futuro funcionário ideal terão também muitos outros desqualificados. Assim, é legal ter um cuidado maior com a maneira que você divulga essa vaga.

Depois da contratação

Quando se trata de um funcionário remoto, não dá para pensar que a solução para reter o dev e deixá-lo feliz é colocar uma política de no dress code, um escritório bacana com ping pong e happy hour e achar que está resolvido: agora você é uma empresa legal para se trabalhar.

O desenvolvedor remoto, e provavelmente os que trabalham no escritório também, preferem incentivos como benefícios atrativos e planos de carreira. A pessoa que trabalha de longe pode buscar por oportunidades em qualquer lugar, portanto, lembre-se que sua vaga está competindo com o mundo todo. 

Mas não precisa se assustar, existem vários atrativos que não precisam ser necessariamente um salário exorbitante. Estimular o desenvolvimento de carreira, com cursos e participação em eventos e palestras, acompanhar e incentivar seu crescimento na empresa são ações que ajudam a manter o funcionário satisfeito e focado em permanecer na empresa. Quando a pessoa consegue enxergar seu futuro na companhia, tem perspectiva de crescimento e percebe que as outras pessoas se importam com o seu desenvolvimento, ela tende a ficar mais feliz no seu cargo.

Pense no assunto

Muitas pessoas dizem que o trabalho remoto é a maneira de se trabalhar do futuro, que as empresas estão caminhando para essa nova realidade. Mas no cenário atual, não é qualquer pessoa nem empresa que se encaixa nesse modelo. É preciso olhar para o seu negócio com uma visão crítica e com todas as informações em mãos para que seja possível fazer o processo de recrutamento, seleção e contratação que mais faça sentido para a sua realidade.

Antes de colocar esse processo em prática, planeje-se, decida quais benefícios você vai disponibilizar para o funcionário remoto, com qual frequência você pretende fazer reuniões, se será necessário algum encontro presencial, e quais serão as métricas do novo funcionário. Busque por benchmark, faça pesquisas pelas melhores práticas do mercado. As referências podem ajudar bastante.

Se bem pensada e implementada, a contratação remota pode transformar o seu negócio.

Que tal começar aos poucos? Talvez você tenha uma vaga difícil de ser fechada porque não encontra o candidato ideal, você pode abrir seu leque de opções e experimentar o que uma vaga remota pode fazer por você, sua produtividade e seu lucro.

Boa sorte!

E pode contar com a Vulpi nessa empreitada.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *