Como definir Requisitos e Desejáveis em uma Contratação de Sucesso

Tempo de leitura: 7 minutos

Os requisitos e desejáveis de uma vaga de emprego são aqueles itens que aparecem em toda descrição em postagens e divulgação procurando por candidatos. Essa lista serve para a empresa comunicar o que está sendo buscado para aquele cargo e encontrar pessoas que se identifiquem com a sua demanda.

Os requisitos são aqueles conhecimentos ou experiências obrigatórias, que o funcionário que vai ocupar aquela vaga precisa ter. E os desejáveis são aqueles que funcionam como um bônus, que seria legal se a pessoa tivesse, mas não são itens classificatórios.

É essencial listar os requisitos e desejáveis de uma vaga com bastante cuidado. Essa lista pode parecer apenas um monte de habilidades enumeradas. Mas na verdade ela já funciona como um primeiro filtro de candidatos, podendo atrair ou repelir.

Confira este artigo para entender quais cuidados você pode tomar para atrair as pessoas certas para a sua vaga de TI e garantir uma contratação de sucesso.

Tipos de requisitos e desejáveis

Os requisitos e desejáveis em uma vaga de emprego podem ser referentes às experiências da pessoa, seus conhecimentos, habilidades ou comportamento. Esses aspectos podem ser agrupados em hard skills e soft skills.

As hard skills são as habilidades técnicas do candidato. Normalmente, são mais facilmente identificadas e metrificadas. Elas podem ser aprendidas e desenvolvidas dentro de salas de aula ou durante o trabalho.

Alguns exemplos de hard skill são os conhecimentos técnicos comprovados com experiências, portfólio, certificados ou diploma, conhecimento em outro idioma, entre outras coisas. Algumas dessas hard skills podem ser colocadas à prova por meio de um teste técnico durante o processo seletivo.

Já as soft skills são referentes ao comportamento do candidato. Estas são habilidades mais subjetivas, que podem ser avaliadas por meio de observação. Estão relacionadas a como o profissional interage com outras pessoas.

As soft skills agrupam habilidades como: resolução de conflitos, trabalho em equipe, pensamento crítico, tomada de decisão, ética, empatia, liderança, comunicação, entre outras. Muitos processos seletivos também aplicam testes para as soft skills, são os testes comportamentais.

Tanto as hard skills quanto as soft skills podem estar presentes dentro dos requisitos obrigatórios e dos desejáveis. Isso depende do perfil e da demanda da empresa, em relação às atividades que deverão ser executadas, senioridade e nível de influência da vaga.

Relevância dos requisitos e desejáveis

Os conhecimentos, experiências e comportamento que uma empresa coloca como requisitos e desejáveis na divulgação de uma nova vaga diz muito sobre a empresa e aquele cargo. Uma descrição de vaga desalinhada ou irrealista terá, consequentemente, poucos candidatos alinhados e baixo engajamento.

Esse tipo de vaga ainda corre o risco de virar notícia na página “vagas arrombadas”. Essa é uma página no Facebook focada em comentar sobre vagas com descrições consideradas absurdas.

A comunidade de desenvolvedores é muito próxima e ativa. Os candidatos conversam entre eles. Por isso, é legal acompanhar uma métrica chamada NHS – Net Hiring Score. Esse número funciona como um NPS, mas medindo a satisfação e experiência do candidato no seu processo seletivo.

Os seus requisitos e desejáveis podem ser a grande diferença entre ter um alto NHS ou ter uma vaga que será criticada na internet. E essa segunda opção pegaria muito mal para a sua empresa, afetando seu employer branding.

Além disso, essas habilidades buscadas são a primeira coisa que um candidato lê ao ver a sua vaga. Sendo assim, elas já funcionam como um primeiro filtro, fazendo aquela pessoa desistir de se inscrever ou então decidir que quer aquela vaga. Uma descrição mal feita ou equivocada pode repelir ótimos profissionais.

5 Dicas para seus requisitos e desejáveis

Confira algumas dicas práticas para elaborar uma descrição de vaga com requisitos e desejáveis que vão atrair o candidato que você precisa:

1 Seja coerente com a sua demanda;

As habilidades listadas como requisitos e desejáveis precisam ser realistas e coerentes com as reais tarefas que aquele profissional vai exercer. Para isso, é essencial conhecer muito bem sua empresa, seu produto e sua demanda. A descrição da vaga precisa apresentar as questões técnicas e comportamentais que aquele cargo realmente precisa. Não faz sentido pedir autonomia e liderança para a vaga de um Júnior, por exemplo. 

2 Não faça um lista gigante;

Muitas empresas caem no erro de colocar muitos itens como requisitos e desejáveis na sua vaga. Ao fazer isso, é muito comum misturar habilidades que não são referentes a um único cargo e que na verdade descrevem dois profissionais, com bagagens diferentes. É como ter requisito de Java, Python, Ruby e outros, em uma mesma vaga. Ou buscar um profissional Front end que também tenha conhecimento em Node e Objective-C. Assim, a empresa pode acabar repelindo bons profissionais.

3 Trate os desejáveis como eles são: um bônus;

Ao listar como desejável algumas habilidades, sejam elas técnicas ou comportamentais, você está definindo que a falta daqueles conhecimentos não pode ser motivo para eliminar candidatos. No máximo, pode ser uma questão para ajudar em um comparativo, como desempate. Usar os desejáveis como um fator excludente, pode pegar mal para a sua empresa e seu NHS. 

4 Não busque candidatos espelho;

É comum uma empresa perder um bom funcionário e passar a procurar no candidato alguém igualzinho àquela pessoa que saiu. É importante lembrar que “ser igual fulano” não é um requisito válido, mesmo se ele existir só na sua cabeça. O profissional que saiu já estava familiarizado com os processos internos e com o produto. Não é justo com o candidato compará-lo com alguém assim.

5 Não se apegue a diplomas;

Na prática, na área de TI, uma graduação não se mostra necessária. Os desenvolvedores têm o histórico de serem autodidatas e buscarem experiência e conhecimentos por conta própria desde o início da carreira. Outro aspecto que costuma aparecer nos requisitos é o domínio do inglês que, em muitos casos, não é realmente usado no dia a dia do trabalho. Os profissionais de TI, mesmo sem saber outro idioma, sabem a linguagem técnica necessária para o trabalho deles.

Conclusão

Antes de divulgar uma vaga, seja analítico e crítico em relação à sua demanda. Converse com quem será o gestor direto daquele novo profissional e definam juntos quais serão as atividades daquela pessoa e o que ela precisa ter para entregar um trabalho eficiente.

Na descrição da sua nova vaga de TI, seja prático. Não é legal tentar florear demais e fazer um texto muito longo sem necessidade. Quanto mais direto e relativo a realidade do cargo, melhor.

Considere também se alguns dos requisitos não podem ser desenvolvidos no profissional após a contratação. É normal encontrar candidatos que se encaixam na empresa, que não têm todos os requisitos da vaga mas que têm potencial para aprender muito mais. Um pouco de flexibilidade pode fazer bem para a sua empresa.

Afinal, é importante se atentar para os cargos de desenvolvedores unicórnios. Esses são aqueles profissionais com tantas habilidades e com conhecimentos tão abrangentes, que fica difícil acreditar que eles existem. Será mesmo que vale a pena procurá-los?

Use nossas dicas para definir os requisitos e desejáveis e elaborar uma descrição de vaga de TI que te guiará no contratação de sucesso! E se precisar de ajuda, chama a Vulpi.

 

Precisa de ajuda para contratar dev?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *